Fintechs, startups financeiras que são um fenômeno no Brasil e no mundo

Goldwasser Pereira Neto, CEO e Founder da Accountfy, foi a capa da edição de novembro da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, que abordou a geração fintech.

Ele criou uma startup que cresceu cinco vezes de tamanho só este ano

Goldwasser Neto é cofundador da Accountfy, que recebeu um aporte de R$ 4,2 milhões no começo do ano e já planeja internacionalização

Por PEDRO CARVALHO

Um tipo de fintech que desperta a atenção dos investidores é aquela que, mesmo nascendo no Brasil, pode conquistar mercados fora do país. É o caso da Accountfy, que automatiza a gestão de balanços e demonstrações financeiras das empresas. “Desde o início, nós desenhamos o negócio para que pudesse se internacionalizar”, diz Goldwasser Neto, cofundador da startup, que no começo do ano recebeu um aporte de R$ 4,2 milhões da Redpoint eVentures, um fundo de investimentos de capital norte-americano.

Enquanto a maior parte das fintechs nasce em áreas reguladas por governos ou bancos centrais (como a concessão de crédito e os meios de pagamento), aquelas que se dedicam a melhorias na gestão das empresas, como a Accountfy, estão livres dessas barreiras e podem disputar os mercados internacionais. “Nossa ferramenta se adapta aos formatos contábeis de outros países e a diferentes moedas”, diz Neto. “Já temos clientes no Uruguai, e no ano que vem vamos focar na internacionalização para América Latina e Europa”, afirma.

A paulistana Accountfy surgiu em julho de 2017 com o propósito de ajudar pequenas e médias empresas a fazer balanços e análises financeiras. “Existem ferramentas caras, criadas por multinacionais, que fazem esse serviço. Mas normalmente elas têm recursos muito complexos — e a maioria das empresas não precisa deles.” Com o tempo, passou a ser usada por grandes firmas de auditoria e contabilidade, que utilizam a tecnologia ao prestar serviços a seus clientes. “Temos 150 empresas no portfólio, mas somos usados em mais de mil negócios diferentes”, diz Neto. Do início do ano até outubro, a receita da startup cresceu cinco vezes. “Em 2020, devemos receber uma nova rodada de investimentos, que irá ajudar no processo de internacionalização da marca”, afirma.

Fonte: https://revistapegn.globo.com/Startups/noticia/2019/12/ele-criou-uma-startup-que-cresceu-cinco-vezes-de-tamanho-so-este-ano.html

Latest

news

Redpoint aposta em crédito pessoal com aporte na recém-criada Nobli

Empresa pré-operacional foi criada por ex-executivo da B3 e espera iniciar oferta de produtos no começo de 2020

A onda de startups brasileiras que chegam a um valor de mercado de US$ 1 bilhão está ganhando corpo

Romero Rodrigues aconselha os empreendedores em entrevista exclusiva para a nova edição da revista EXAME, que fala sobre o ano de ascensão dos #unicórnios no país.

Redpoint eventures faz aporte de R$ 50 mi na Housi

A empresa oferece locação de apartamentos de forma profissional e totalmente digital, simples, sem burocracia e sem tempo pré-determinado para a moradia, facilitando o dia a dia das pessoas que possuem uma vida agitada, para que não percam tempo com processos burocráticos.